Santo Antônio da Platina / PR33º21º19 de Outubro de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 17/10/2018

Edição ImpressaEdição 3704

Ler Jornal
PROERD

Andirá retoma convênio com a PM

Programa Educacional de Resistência as Drogas e à Violência começa a ser aplicado no município no segundo semestre

Comentar
Compartilhar
10 AGO 2018Por Da Assessoria20h38

A Prefeitura de Andirá retomou o convênio com o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), desenvolvido pela Polícia Militar (PM), numa parceria Escola - Família. O termo de convênio, que já tinha sido assinado pela prefeita Ione Abib, no final do ano passado, começa a ser aplicado agora, no segundo semestre.

Nesta sexta-feira, 10, o Sub Tenente Renato – responsável pelo projeto em Andirá – acompanhado dos soldados Aparecido e Givanildo estiveram no gabinete  e apresentaram a prefeita e a secretária de Educação, professora Laudicéa Mello Pereira, a cartilha que será trabalhada como material pedagógico do projeto.   

As ações serão desenvolvidas pelos alunos do 5º ano do Ensino Fundamental das escolas municipais, além da escola particular Nova Geração. Através de encontros semanais, divididos em 10 lições, o programa ensina as crianças a reforçarem sua autoestima, lidar com as tensões, resistir às pressões nos ambientes sociais onde estão inseridas, além de desenvolver a civilidade. Ao final do curso, os alunos terão uma formatura com entrega de prêmios aos que mais se destacarem, além de certificados para todos os participantes.  Eles também realizam atrações culturais, apresentando a música do Proerd, durante a formatura.

Para a prefeita de Andirá, a retomada do programa na rede municipal de ensino é  importante para efetivar ações estratégicas de prevenção ao uso de drogas e à violência. Ela destacou que este é um investimento cujo retorno é incalculável. A secretária também manifestou bastante esperança no projeto. “É um trabalho atrativo e de mobilização social que consegue construir uma relação de afeto e confiança com a Polícia Militar, com a Escola, que envolve a  família. Como professora, sei que os alunos aguardam ansiosos os instrutores. Eles gostam muito”, contou.

Como funciona – O Proerd é a adaptação brasileira do programa norte-americano Drug Abuse Resistence Education (D.A.R.E.), que surgiu em 1983. No Brasil, o programa foi implantado em 1992, pela Polícia Militar do Rio de Janeiro, e hoje é adotado em todo o país. Um dos principais objetivos do Proerd é prevenir quanto ao uso de drogas não só entre os estudantes, mas também na comunidade escolar. Assim, os alunos aprendem maneiras de dizer não às drogas, bem como competências sociais e ferramentas psicológicas, dentre elas, como ser seguro, conviver com estresse, ter empatia e tomar decisões.

As dez lições serão ministradas aos estudantes por um policial militar, com a presença do professor em sala de aula, utilizando a cartilha do programa como material de apoio. Além de drogas ilícitas, o programa discute também o uso de substâncias como o álcool e o cigarro; situações de tensão; Bullying; riscos e  consequências, entre outros temas. As aulas serão aplicadas uma vez por semana, com duração de 50 minutos cada. O programa completo é composto por dez aulas, com base na cartilha que os alunos irão receber. O foco do Proerd é a prevenção ao uso indevido de drogas, com alerta sobre os malefícios causados na saúde física e mental das pessoas”, contou.

Além dos alunos, o Proerd também envolve as famílias, com tarefas que demandam a discussão dos assuntos aprendidos em sala de aula. Os pais e familiares são convidados a comparecer, já que as aulas são abertas para eles. E em casa, os alunos têm como dever abordar esses assuntos com seus pais e responsáveis.  

 

Blogs

Ver Todos os Blogs