Santo Antônio da Platina / PR33º21º21 de Junho de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 19/06/2018

Edição ImpressaEdição 3621

Ler Jornal
Cambará

Destruído por incêndio em 2015 colégio é devolvido à comunidade

Comentar
Compartilhar
25 OUT 2017Por Da Redação18h09

O governador Beto Richa entregou nesta quarta-feira (25) as obras de reconstrução do Colégio Estadual Professor Sílvio Tavares, o maior e mais antigo de Cambará. O prédio foi atingido por um incêndio, em 2015.

Acompanharam o governador os deputados estaduais Pedro Lupion (DEM), e Luiz Claudio Romanelli (PSB), ambos que investiram esforços importantes junto ao governo do estado, para a reconstrução do prédio, que  teve o piso superior totalmente destruído pelo fogo e boa parte do térreo comprometido.

O governo investiu R$ 1,5 milhão na obra.

Fundado há 64 anos, o colégio é o terceiro maior do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Jacarezinho. Com 1200 alunos em três períodos, a escola retoma as atividades normais nesta quinta-feira.

Durante a solenidade de reabertura, Richa anunciou que a unidade também vai receber investimentos do Estado dentro do programa de modernização tecnológica na rede estadual. “A determinação é que a escola de Cambará seja a primeira beneficiada”, afirmou o governador, ressaltando que o governo estadual investirá R$ 100 milhões na melhoria dos laboratórios de informática, redes de internet e aquisição de equipamentos. O programa vai beneficiar 2.100 colégios públicos do Estado.

Comunidade cambaraense compareceu em peso para a reinauguração do colégio (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

Alunos, professores, diretores e lideranças de Cambará comemoraram a reinauguração. “É uma belíssima e histórica escola, uma das maiores e mais bonitas do Paraná”, destacou o governador. Ele lembrou que o Governo do Estado adquiriu cerca de 7 mil extintores para equipar escolas e também criou a Brigada Escolar, que capacita estudantes, professores e funcionários sobre os procedimentos em casos de incêndio.

Empresário Alceu Vezozzo emociona ao falar do colégio

Um dos momentos de grande emoção durante a solenidade foi marcado pelo depoimento de Alceu Vezozzo, um cambaraense de origem, engenheiro e empresário, diretor da Rede de Hotéis Bourbon, responsável pela conquista do colégio na gestão do ex-governador Moisés Lupion e executor da construção da obra. Hoje, com 88 anos, Vezozzo mantém suas raízes na terra de origem, onde mantém projetos como a Escola Profissionalizante, construída com recursos do Rotary Internacional e a construção do Hotel Escola do Grupo Bourbon, que está sendo erguido no centro da cidade.

“Estamos reabrindo as portas do Colégio Professor Sílvio Tavares e retomando as atividades pedagógicas com toda a qualidade do ensino”, disse a secretária de Estado da Educação, professora Ana Seres. Ela destacou também o trabalho conjunto da comunidade escolar, prefeitura de Cambará e do Governo do Estado para a reconstrução.

Engenheiro que construiu o colégio, Alceu Vezozzo estava presente e emocionou público e autoridades (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

O prefeito José Salim Haggi Neto mencionou que a obra de reconstrução era uma reivindicação importante da comunidade. “É uma alegria este momento. Quando o colégio pegou fogo, Cambará chorou e hoje percebemos a felicidade da nossa comunidade por receber de novo esse prédio, que faz parte da história da nossa população e da nossa cidade”, disse ele. Neto também lembrou que o incêndio destruiu o laboratório modelo do colégio e aproveitou para solicitar ao governador recursos para a sua reconstrução.

O impacto que a destruição do prédio do colégio teve junto à população foi também ressaltado pela diretora do colégio, professora Maria Ângela Cegatti. “Toda a comunidade ficou muito triste. Mas tem males que vem para bem. Temos que agradecer ao Governo do Estado pelo ótimo trabalho. O colégio ficou até melhor e está perfeito para receber os nossos alunos”, afirmou.

A estudante Giovana, 16 anos, vai concluir o ensino médio no novo prédio do colégio. Ela, que está na escola desde o 6° ano do ensino fundamental, acompanhou de perto a situação desde o incêndio e afirmou que a insegurança de não ter onde estudar era o que mais afligia os alunos.

“Quando soube do incêndio a primeira coisa que pensei foi onde concluiria meus estudos. O período de adaptação na outra escola foi difícil, mas deu tudo certo. É uma emoção muito grande estar de volta. Vou terminar o ensino médio no colégio novo e a felicidade é gigantesca”, afirmou.

Deputados se uniram pela reconstrução 

O deputado estadual Pedro Lupion (DEM), se mostrou emocionado com entregado do colégio aos seus devidos donos. “Estive aqui no dia seguinte do incêndio. Aquela imagem da destruição está sendo substituída gora, com a entre do prédio totalmente reconstruído aos alunos, professores, funcionários e comunidade cambaraense”, ressaltou  Lupion salientando, ainda, que era uma honra e uma emoção dividir o  mesmo espaço com a pessoa responsável pela elaboração da construção do colégio, Alceu Vezozzo. “Esse prédio foi construído quando meu avô, Moisés Lupion, era governador do Paraná”, contou.

Deputados se uniram pela reconstrução (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

O deputado Romanelli (PSB) destacou a luta para que chegasse o dia em que a escola estivesse pronta para ser entregue a população após o incêndio de 2015.  Romanelli também destacou a parceria com deputado Pedro Lupion para viabilizar a reconstrução do colégio e outras demandas dos municípios do Norte Pioneiro.

Reconstrução

O incêndio atingiu a escola na noite de 11 de fevereiro de 2015, por volta das 22 horas. O fogo foi contido totalmente somente na madrugada pelas equipes da Defesa Civil Comunitária de Cambará e do Corpo de Bombeiros de Jacarezinho. O pavimento superior do prédio ficou destruído.

No pavimento superior, foram reconstruídas 13 salas de aulas, os laboratórios de Química, Física e Biologia, e o de Informática e o auditório. Também foram reformados os pisos do pavimento inferior, de nove salas de aula e do setor administrativo. O colégio também foi equipado com extintores e outros itens de segurança e recebeu uma nova pintura.

O Colégio Silvio Tavares tem uma área de 2 mil metros quadrados e cerca de 1200 alunos dos ensinos fundamental e médio. No local também são ofertados cursos técnicos de formação de docentes, recursos humanos, contabilidade e administração. “Estamos vendo a possibilidade de implantar cursos de estética, secretariado e marketing. A escola tem espaço físico e condições de atender”, contou a diretora-auxiliar Márcia Regina Franco de Oliveira.

Richa visita Escola Profissionalizante

Ainda em Cambará, o governador Beto Richa visitou a Escola Profissionalizante Milton Faria de Oliveira, construída e mantida pelo Instituto Bourbon de Responsabilidade Socioambiental. Inaugurada em junho deste ano, a escola tem cerca de 250 alunos e oferece cursos de cabeleireiros, estética, depilação, entre outros.

Comunidade cambaraense compareceu em peso para a reinauguração do colégio (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

A escola está localizada na Vila Rotary, onde também foram instalados, em parceria com o Governo do Estado e a prefeitura de Cambará, o Colégio Estadual Angelina Ricci Vezozzo e a Escola Municipal Caetano Vezozzo.

“Construímos aqui 80 casas e as escolas para atender as famílias que moram nas proximidades. Hoje as três escolas abrigam cerca de 1,2 mil alunos”, contou Alceo Vezozzo, que foi também o engenheiro responsável pela construção do Colégio Estadual Sílvio Tavares, na década de 1950.

Blogs

Ver Todos os Blogs