Santo Antônio da Platina / PR33º21º18 de Agosto de 2017
Jornal Tribuna do Vale - 18/08/2017

Edição ImpressaEdição 3422

Ler Jornal
S.A.PLATINA

Coronel Diniz assume Planejamento e Joubert Brito se torna secretário de Gestão

Comentar
Compartilhar
10 AGO 2017Por Luiz Guilherme Bannwart18h54
Coronel Diniz deixa a Secretaria de Gestão e vai cuidar do PlanejamentoFoto: Antônio de Picolli / Tribuna do Vale

Considerado o braço direito do prefeito José da Silva Coelho Neto (PHS) e pivô de várias polêmicas nos primeiros sete meses de governo do humanista, o coronel reformado da Polícia Militar, Airton Sérgio Diniz deve deixar a Secretaria de Gestão na próxima semana para assumir a Secretaria Municipal de Planejamento, pasta que era ocupa pelo vice-prefeito Francisco Monteiro (PMN), o Chico da Aramon, até março, quando ele que deixou a função sob a alegação de que a medida seria essencial para economia dos cofres do Executivo.

Para o lugar de Diniz, o prefeito Zezão indicou o diretor municipal de Gestão, Joubert Alves Brito, que para assumir a função, porém, precisa passar pela sabatina dos vereadores na próxima sessão ordinária na segunda-feira, 14, na Casa da Cultura, quando os parlamentares também irão sabatinar Airton Diniz para a Secretaria de Planejamento.

Como diretor municipal de Gestão, Brito recebe em torno de R$ 5,4 mil por mês. Já na função de secretário, caso os parlamentares aprovem o seu nome para a pasta, o salário será de R$ 7,5 mil. A diferença na folha representa um impacto negativo de R$ 84 mil aos cofres da Prefeitura até o fim da gestão do governo Zezão.

Joubert Alves Brito que era diretor da pasta de Diniz foi premiado com o cargo de secretário (ARQUIVO PESSOAL)

Se a intenção do vice-prefeito Francisco Monteiro em deixar a Secretaria de Planejamento era economizar o salário de R$ 7,5 mil para investir o orçamento na qualidade de vida dos platinenses, Diniz, caso também tenha o seu nome aprovado pelos parlamentares terá bastante trabalho para traçar uma estratégia diferente para cumprir os compromissos financeiros do Executivo.

Sua nomeação para a Secretaria de Planejamento representará um impacto de R$ 300 mil na folha de pagamento da Prefeitura, somente com salário, até o final do mandato de Zezão. Somados outros gastos que envolvem a manutenção da pasta, o valor pode ultrapassar facilmente a cifra dos R$ 500 mil.

De acordo com dados apresentados pela Secretaria Municipal de Fazenda na primeira audiência pública promovida na Câmara dos Vereadores, o prefeito Zezão está trabalhando no limite do índice prudencial. Isso significa que ele precisaria cortar gastos ao invés de aumentá-los. Segundo sua própria equipe de finanças, até o fim do ano as receitas do Executivo devem diminuir significativamente.

O prefeito José da Silva Coelho Neto, o Zezão, foi procurado pela reportagem para comentar o as mudanças no comando das duas pastas, mas ele não atendeu as ligações feitas para seu celular.

Blogs

Ver Todos os Blogs