Santo Antônio da Platina / PR33º21º17 de Julho de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 16/07/2018

Edição ImpressaEdição 3639

Ler Jornal
COLUNA

Blog do Josias

Josias de Souza é jornalista desde 1984. Nasceu na cidade de São Paulo, em 1961. Trabalhou por 25 anos na ''Folha de S.Paulo'' (repórter, diretor da Sucursal de Brasília, Secretário de Redação e articulista).

Sob Temer, até decisão comezinha vira um parto

Comentar
Compartilhar
03 JUL 2017Por Blog do Josias17h39

A crise moral fez de Michel Temer uma interrogação com faixa presidencial. Num instante em que não sabe nem se conseguirá terminar o mandato, o inquilino do Planalto hesita em tormar decisões tão comezinhas quanto realizar ou não uma viagem.

Até a semana passada, estava entendido que Temer representaria o Brasil na reunião do G-20, que acontecerá na Alemanha na sexta-feira e no sábado. O Planalto já investira dinheiro público na preparação da viagem, que exige o envio prévio de equipes administrativas e de segurança.

Na semana passada, entretanto, Temer mandou dizer à imprensa que desistira de embarcar. Ficaria no Brasil para articular na Câmara derrubada da denúncia em que a Procuradoria-Geral da República o acusa de corrupção passiva.

Nesta segunda-feira, a assessoria do Planalto informou que Temer desistiu da desistência. Resolveu voar para a Alemanha. Talvez se abstenha de jantar com a anfitriã Angela Merkel, como estava previsto. Mas faz questão de ir ao encontro do G-20.

A exemplo de Temer, o brasileiro também fica em dúvida quanto à conveniência da viagem presidencial. A última aventura internacional do presidente, na Rússia a na Noruega, resultou num festival de vexames.

A essa altura, o ‘nada’ talvez representasse melhor o Brasil na reunião do G-20 do que um presidente processado por corrupção. A sorte é que ainda faltam três dias para o embarque. Até lá, Temer pode ter a presença de espírito de reconhecer que o melhor talvez seja assegurar sua ausência de corpo.