Santo Antônio da Platina / PR33º21º21 de Setembro de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 17/09/2018

Edição ImpressaEdição 3683

Ler Jornal
NRE JACAREZINHO

Casa da Cultura Platinense fica lotada para assinatura do Programa Escola 1000

Comentar
Compartilhar
17 NOV 2017Por Gladys Santoro01h07

Dos 19 colégios estaduais da abrangência do Núcleo Regional da Educação de Jacarezinho contemplados pelo programa do governo do Estado “Escola 1000”, 10 assinaram na tarde de ontem, 16, contrato para início das obras.

A solenidade ocorreu na Casa da Cultura Platinense Antônio Freitas, com a presença dos deputados estaduais Pedro Lupion (DEM) e Luiz Claudio Romanelli (PSD), prefeitos de vários municípios, diretores das instituições contempladas, vereadores e alunos. O prefeito anfitrião, José da Silva Coelho Neto, o Zezão, prestigiou o evento.  O público lotou o espaço e aplaudiu com entusiasmo cada vez que o nome de um colégio era citado.

Estudantes do colégio Rio Branco eram a grande maioria. Eles aplaudiam, assobiavam e gritavam cada vez que o colégio era citado.

A fanfarra do Colégio Maria Dalila Pinto se apresentou no roll de entrada da Casa da Cultura.

O programa Escola 1000 destinou R$ 100 mil para cada instituição. Elas podem aplicar os recursos em melhorias e benfeitorias, de acordo com a necessidade do imóvel.

A chefe do Núcleo Regional da Educação, professora Magda Cristina Souza abriu a solenidade agradecendo o empenho dos deputados Lupion e Romanelli, da secretária estadual da Educação Ana Seres, dos diretores e professores. “Hoje é dia de festa. Quero agradecer aos deputados Pedro Lupion e Romanelli pelo empenho deles em incluir escolas da abrangência do NRE no programa do governo”, disse lembrando que duas escolas da região enfrentaram problemas graves e que graças ao apoio dos deputados e a luta dos diretores, as dificuldades foram solucionadas. Magda se referia ao Colégio Silvio Tavares de Cambará que teve parte de sua estrutura destruída por um incêndio em 2015, e ao Colégio Rio Branco, de Santo Antônio da Platina, que após uma longa temporada de chuvas em 2013, apresentou problemas estruturais tão graves, que o refeitório precisou ser demolido e uma ala interditada.

O Colégio Silvio Tavares foi reinaugurado e o Rio Branco já teve autorização do governador Beto Richa para abertura de licitação para uma obra grande, avaliada em cerca de R$ 900 mil. A chefe do Núcleo explicou que foi preciso contratar uma empresa especializada em solo para elaborar um projeto de reforma que garanta permanentemente, a segurança do prédio. “Não posso deixar de agradecer os deputados e também os diretores e prefeitos. Cada um em sua área lutou bravamente pela melhoria dos colégios. São parceiros, aliados”, finalizou.

Diretora do Colégio Rio Branco, Ana, recebe cheque das mãos de Lupion e Romanelli na presença de vereadores e prefeito Zezão (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

EMPENHO

O deputado Pedro Lupion lembrou momentos difíceis, como o incêndio do Silvio Tavares e a possível interdição do Rio Branco, mas admitiu estar feliz pela lotação da Casa da Cultura. “Estou extremamente feliz de ver esse espaço lotado de estudantes, professores, vereadores e pela comunidade em geral. o Escola 1000 oferece condições de dignidade para a comunidade escolar, o que reflete na qualidade de ensino”, disse.

Lupion chamou a diretora do Colégio Rio Branco Ana Maria Valdivies e a secretária Sônia para o palco e enalteceu o trabalho delas pela recuperação estrutural do colégio. “Em fevereiro, as tratativas da reforma estarão bem adiantadas. Mas os recursos do Programa Escola 1000 já estão na conta da instituição”, disse salientando que solenidades como a de ontem, de assinatura de contrato para reformas e melhorias através do Programa estão se repetindo em todo o Estado graças ao empenho do governador Beto Richa e da secretária Ana Seres. O parlamentar também enalteceu o esforço do deputado Romanelli para trazer benfeitorias à região.         

 O deputado e líder do governo na Assembleia Legislativa, Luiz Claudio Romanelli disse que só há um jeito de conseguir bons resultados na vida: estudando. “Fui aluno de escola pública. Aprendi muito e ensinei muito,

Ronanelli também enalteceu a dedicação de Pedro Lupion e anunciou uma boa notícia: “Quando as obras do Colégio Rio Branco iniciarem, os estudantes não precisarão deixar a escola. Portanto, quem tem que se matricular ou rematricular, pode ficar sossegado que vai permanecer em sua própria escola”, disse.

Boas vindas

O prefeito de Santo Antônio da Platina, José da Silva Coelho Neto , o professor Zezão (PHS), lembrou que antes de ser prefeito foi professor de Educação Física. “Costumo dizer que sou professor. Apenas estou prefeito. Por isso valorizo todas as ações voltadas à Educação, que deve ser sempre prioridade sempre”, afirmou.

Prefeito José da Silva Coelho Neto salientou a importância de investimentos na Educação (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

Zezão também agradeceu aos deputados, a chefe do Núcleo Regional e a presença de autoridades regionais. “Sejam sempre bem-vindos a Santo Antônio da Platina”, disse. O prefeito não esqueceu de elogiar o projeto Escola 1000 d0 governo do Estado e de enaltecer a atuação do governador Beto Richa junto aos municípios. “Os recursos municipais são poucos para tantas necessidades. Dependemos de programas como esse e de emendas parlamentares para o desenvolvimento de nossas cidades”, resumiu.

 Colégios contemplados

Os colégios estaduais que assinaram contrato ontem foram João Marques Silveira, de Quatiguá, Nicanor Bueno Marques, de Jundiaí do Sul, Maria Dalila Pinto, de Santo Antônio da Platina, Tiradentes, de Santo Antônio da Platina, Rio Branco, de Santo Antônio da Platina, Edith de Oliveira, Santo Antônio da Platina,  Dr Generoso Marques, de Cambará, Distrital do Joá, Joaquim Távora; Assad Kalil, Joaquim Távora e Luiz Petrin de Jundiaí do Sul.

Programa Escola 1000

O objetivo do Programa Escola 1000 é viabilizar e acelerar a realização de obras na modalidade de reformas nas escolas da rede estadual de ensino.

O investimento total do Governo do Paraná no Escola 1000 é de R$ 100 milhões, divididos entre mil colégios estaduais de todas as regiões do Paraná. Foram abertas contas específicas para o depósito da verba diretamente às escolas. A utilização dos recursos é definida pela comunidade escolar em audiências públicas.

A sociedade participa ativamente da decisão sobre quais obras serão realizadas, pois as APMF e os Conselhos Escolares definem em audiência pública a priorização das obras.

Dentre os serviços que podem ser realizados utilizando os recursos do Escola 1000 estão, por exemplo, reforma de salas de aula, quadras de esporte, banheiros, cozinha, refeitório, telhado, forros, rede elétrica, sistema pluvial, calçamento, pintura externa e outros.

Blogs

Ver Todos os Blogs