Santo Antônio da Platina / PR33º21º16 de Julho de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 12/07/2018

Edição ImpressaEdição 3638

Ler Jornal
AGRINHO

Escola Correia Defreitas desenvolve e projeto sobre perigo de agrotóxicos

Comentar
Compartilhar
13 JUL 2018Por Da Assessoria19h28
Atividade faz parte do Programa Agrinho com o tema “O que liga o campo e a cidade e o nosso papel para melhorar o mundo”.Foto: Divulgação

A turma de 2º Ano A da Escola Municipal Correia Defreitas, em Ribeirão Claro, sob a orientação da professora regente Nilza Fernandes Otávio participa do Programa Agrinho 2018 explorando o tema geral “O que liga o campo e a cidade e o nosso papel para melhorar o mundo”.

A experiência pedagógica intitulada “Agrotóxico- O perigo em nossas mesas” se desenvolveu a partir da problemática de como saber se o alimento está contaminado pelo agrotóxico”. Com objetivo geral conscientizar quanto aos perigos do uso de agrotóxicos na produção de alimentos, ao mesmo tempo compreendendo a interdependência campo/cidade.

Receberam palestras com nutricionista Fernanda Pirola Moura e engenheira agrônoma Carolina Chiarotti Siquerolli que expuseram o tema e destacaram a importância do alimento saudável produzido sem agrotóxico. Receberam depoimento do trabalhador o senhor Luís Simão Fernandes vítima de intoxicação pelo veneno utilizado nas aplicações na roça.

Visitando à APO perceberam o trabalho coletivo consciente dos produtores para garantir saúde e bons produtos. Ali viram de perto verduras, legumes, frutas e outros produtos sendo selecionados para a merenda escolar.

Na Pesquisa de Campo na Chácara dos Sonhos observaram formas de plantação e produção de alimentos. A senhora Simone Aparecida Camilo da Silva Campos os conduziu pelo espaço rural mostrando e explicando sobre a prática de cultivo no sistema orgânico e convencional. Contou à turma que trabalha e vive do campo, plantando, colhendo para o próprio sustento e para comercialização como a compra direta da agricultura familiar. Dona Simone disse às crianças: “quem vive do campo precisa estar atento e cultivar um pouco de tudo, inclusive garantir o leitinho da filha. A gente trabalha o tempo todo, mas trabalha feliz, junto da família”. Os alunos ficaram encantados com tudo o que viram.

Na visita à UBC unidade de beneficiamento de café o técnico agrícola encarregado da unidade recebeu a turma explicando sobre o uso do agrotóxico no café e toda orientação ofertada aos produtores do município e região. Lá o senhor José da Silva Filho muito atencioso esclareceu as dúvidas e curiosidades da turma, além de mostrar como é feito a classificação das amostras de café levadas pelos produtores.

Para entender melhor sobre o sistema orgânico de produção de alimentos, conheceram a Chácara da dona Maria Luizeti Brambila. Um espaço totalmente orgânico com cultivo de verduras, legumes, hortaliças e frutas.

A pesquisa despertou a atenção dos alunos à importância da sustentabilidade para o equilíbrio na natureza. Viram que há outras alternativas conservando a saúde humana e os recursos naturais. Aprenderam que o perigo do uso de agrotóxico não está só na contaminação de alimentos, mas em intoxicação de pessoas e poluição do meio ambiente.

Descobriram que é possível saber se o alimento está contaminado por agrotóxico, e que, isso é muito importante para a escolha daquilo que se põe em sua mesa.

As ações realizadas e as comunidades de aprendizagem contribuíram para construção do conhecimento reforçando a compreensão de interdependência campo/cidade. A turma sem dúvida compreendeu a importância do trabalhador rural para que as pessoas na cidade possam ter alimento saudável na mesa todos os dias.

Com o projeto em desenvolvimento já se obteve grandes resultados na aprendizagem e conscientização da turma, a qual compartilha aqui suas descobertas para que outras pessoas da comunidade possam se beneficiar dessas informações. Por ora ficam os agradecimentos àqueles que têm contribuído para a concretização da experiência pedagógica.

 

Blogs

Ver Todos os Blogs