Santo Antônio da Platina / PR33º21º17 de Janeiro de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 11/01/2018

Edição ImpressaEdição 3514

Ler Jornal
S.A.PLATINA

Município corre risco de não alcançar índice da educação

Comentar
Compartilhar
24 NOV 2017Por Da Redação19h33
Uma das saídas, seria acelerar as obras do Cemei Terezinha Villani e a reforma da Escola Hercília CustódioFoto: Antônio de Picolli / Tribuna do Vale

O prefeito José da Silva Coelho Neto (PHS), o professor Zezão, como é mais conhecido, corre sério risco de comprometer sua carreira política e jurídica caso não consiga obter o índice mínimo de investimento em educação conforme determina a legislação e o Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR), que fixa um percentual de 25% da receita tributária do Município. Uma sucessão de erros, amadorismo, pode levar Santo Antônio da Platina a apresentar déficit em investimentos educacionais, já que até o momento, segundo uma fonte da prefeitura, a administração registra apenas18% de índice.

Várias fontes ouvidas pela reportagem garantem que se instalou um clima desespero na cúpula da administração, inclusive do próprio prefeito Zezão, que poderá ter suas contas de 2017 rejeitadas pelo TCE-PR, com reflexos em sua carreira política, já que, se isso efetivamente ocorrer, ficará inelegível e proibido de concorrer à reeleição e ocupar outros cargos públicos.

Na estimativa de um especialista em gestão pública, uma rápida análise do balanço da prefeitura indica que o prefeito teria que acelerar gastos para tentar alcançar uma cifra superior a R$ 1 milhão no mês de dezembro. Vale salientar que o cronograma administrativo tornava isso impossível já que a previsão de expediente normal iria até dia 15 do mesmo mês. A nova determinação é para dia 22, com recesso oficial para dia 26 de dezembro. Tudo isso, para dar tempo de realizar medições de obras como por exemplo no Centro Municipal de Educação Infantil Terezinha Villani, na área central da cidade e reforma da Escola Hercília Custódio no Jardim Colorado.

Esse esforço pode dar em nada, segundo um especialista. Para ele, é pouco provável que o prefeito consiga avançar essas obras de forma a proporcionar medições suficientes e em tempo hábil para realizar os pagamentos.

Nada disso estaria ocorrendo se o prefeito tivesse iniciado as obras em tempo hábil de uma escola cujo projeto foi formalizado na gestão do ex-prefeito Pedro Claro de Oliveira. Mas divergências internas atrasaram o início das obras e mudança de ultima hora, optando-se pela reforma da Escola Hercília Custódio.  

Licitação

Outra ideia mirabolante que está sendo gestada é a realização de uma licitação para a compra de móveis e utensílios para escolas municipais em valor estimado em R$ 500 mil. No entanto, esta iniciativa pode dar em nada já que os prazos determinados pela lei de Licitações tornam quase impossíveis a realização do processo no tempo que resta à administração.

O que causa estranheza é que o setor em que o prefeito Zezão não podia falhar é a educação, área em que atua há quase 30 anos como professor de educação física.

    

Blogs

Ver Todos os Blogs