Santo Antônio da Platina / PR33º21º19 de Outubro de 2017
Jornal Tribuna do Vale - 18/10/2017

Edição ImpressaEdição 3460

Ler Jornal
PADROEIRO

Tradicional bolo de Santo Antônio terá 44 metros e mais de seis mil pedaços

Comentar
Compartilhar
12 JUN 2017Por Dayse Miranda, especial para Tribuna do Vale17h57

Há 18 anos, milhares de fiéis comparecem em frente à Igreja Matriz de Santo Antônio da Platina no dia 13 de junho em busca do tradicional “Bolo de Santo Antônio Casamenteiro”. Este ano, a comissão organizadora optou manter o mesmo tamanho do ano anterior, pois, coincidiu que a esta semana vai contar com dois feriados, o que pode reduzir a demanda. Para a produção do imenso doce, que mede 44 metros, foram utilizados: 176 massas de pão de ló, 90 litros de calda, glacê, confeitos e 1.584 santinhos. O bolo será dividido em 6.336 pedaços e vendido a R$ 3 cada fatia. A produção envolve aproximadamente 30 voluntários que dividem as tarefas.

Produção do bolo tem 176 massas e foram distribuídos 1.584 santinhos (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

Organizado pelo Movimento de Cursilho de Cristandade (MCC), o tema deste ano comemora os 300 anos de Nossa Senhora Aparecida.

A tradição do bolo iniciou em comemoração ao dia do padroeiro da cidade em 1999 sob coordenação de Vilma Binde. A confecção do primeiro bolo media aproximadamente 20 metros, que com o passar dos anos foi crescendo cada vez mais.

Durante esta terça-feira, os voluntários e membros do MCC se reúnem às 6 horas para organizar e montar o bolo em frente à igreja. Ás 8h30 acontece a benção do Padre Rosinei Tonietti, logo em seguida da Missa de Santo Antônio de Pádua e na sequência será iniciada a entrega e venda das fatias.

Ao todo, 1.584 santinhos foram colocados dentro de alguns pedaços; a tradição diz que quem pegar terá sorte no amor (Antônio de Picolli / Tribuna do Vale)

De acordo com a coordenadora do MCC Mariele Bertolini a participação popular mantém por anos a tradição do “santo casamenteiro”. Ela explica que os santinhos são colocados de ponta cabeça no bolo para que o santo não fuja e encontrar o objeto no bolo é um bom sinal. “Já ouvimos muitas histórias de pessoas que realmente casaram no ano seguinte  que encontraram o  santinho. “A grande procura pelo bolo mostra que a população tem fé no pedido. Antes mesmo de iniciarmos a produção do bolo, os fiéis já estavam em busca, portanto, quem não quiser ficar de fora, levanta cedinho pra garantir seu pedaço”, recomendou.

A arrecadação é revertida para manutenção do cursilho durante o ano.

Blogs

Ver Todos os Blogs