Santo Antônio da Platina / PR33º21º17 de Janeiro de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 11/01/2018

Edição ImpressaEdição 3514

Ler Jornal
POLÍTICA

Polícia Federal encontra local onde Geddel escondia propina

Comentar
Compartilhar
05 SET 2017Por Da Redação Veja18h34
PF encontra malas de dinheiro em endereço em Salvador que segundo investigações seria usado como "bunker" para valores por Geddel Vieira Lima (Polícia Federal/Divulgação)

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira 5 a Operação Tesouro Perdido, mais uma fase da Operação Cui Bono? , que investigava uma quadrilha que arrecadava propinas na Caixa Econômica Federal entre os anos de 2011 e 2013. Segundo informações divulgadas pela PF, foram cumpridos mandados de busca e apreensão emitidos pela 10ª Vara Federal de Brasília.

A partir das provas coletadas nas últimas fases da Cui Bono?, a PF chegou a um endereço em Salvador, na Bahia, que supostamente seria utilizado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima para armazenar dinheiro vivo.

Segundo a PF, foram encontradas no local malas com “grande quantia de dinheiro em espécie”, que serão levadas a um banco para que o valor seja devidamente contabilizado e depositado em conta judicial.

A quem interessa?

A Operação Cui Bono? (expressão em latim que significa ‘a quem interessa?’) é um desdobramento da Operação Catilinárias, deflagrada em dezembro de 2015, na qual foi encontrado um celular na casa de Eduardo Cunha — um dos investigados — com troca de mensagens comprometedoras entre o ex-deputado e o ex-ministro Geddel Vieira Lima.

Vieira Lima foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal entre 2011 e 2013, justamente durante o período de investigação da PF. Entre os documentos encontrados pela polícia, estavam papéis com uma relação de empresas que pleiteavam empréstimos e financiamentos na Caixa, além de informações sobre juros e transações.

Há ainda outro material, chamado de “Pendência Geddel”, que listava uma série de operações de crédito envolvendo empresas. Além de Geddel e Cunha, Lúcio Funaro e Cleto  foram alvos da investigação.

 

Blogs

Ver Todos os Blogs