S.A.PLATINA

Prefeito perde controle com críticas na internet

13 DEZ 2017 • Por Da Redação • 18h54
Prefeito Zezão perde a compostura nas redes sociais - Antônio de Picolli / Tribuna do Vale

O prefeito José da Silva Coelho Neto, o professor Zezão (PHS), está dando mostras de total perda de controle emocional diante das críticas que vem sofrendo nas redes sociais por conta do péssimo desempenho de sua gestão. No último fim de semana, incomodado com a cobrança em sua página do Facebook de internautas descontentes com o fato de a prefeitura ter asfaltado uma travessa ao lado da sede das rádios Vale do Sol e Difusora, ele disparou uma postagem chamando os críticos de “gente ignorante que é uma bosta” assinalando que a obra atende “dezenas de idosos que moram ali”.
A atitude do prefeito causou reação virulenta dos internautas que passaram a criticar sua postura na internet, lembrando a situação de abandono de vários bairros da cidade, onde igualmente residem muitos idosos, enquanto ele escolhe uma travessa sem saída, para investir o dinheiro da comunidade, como se o administrador estivesse invertendo a ordem das prioridades na gestão pública.
O que mais irritou os moradores foi a postura deselegante de Zezão, valendo-se termos chulos, um linguajar incompatível com a função pública, principalmente sendo ele membro de uma partido que se define como “humanista e solidário”. Sem contar que o prefeito foi eleito por uma coligação majoritariamente composta por membros da Igreja Católica da qual Zezão é integrante ativo.
Ao sentir a repercussão negativa, o prefeito excluiu de sua página, a postagem que gerou toda a polêmica. Mas o estrago já estava feito, porque os internautas gravaram a mensagem da tela e estão distribuindo em outras redes  sociais.

Desmoralização

A sequência de absurdos que marcam a administração do prefeito Zezão chega ao ponto de desmoralização total, causando reações indignadas até mesmo de católicos com sólida atuação na comunidade como o jornalista e ex-vereador Fábio Galhardi, que semana passada expôs numa rede social toda sua indignação com o descaso com que a população tem sido tratada no Pronto Socorro Municipal.
A reação de Galhardi teve como fato motivador a morte de uma paciente que esperou por oito horas para ser atendida e outro caso envolvendo sua tia, que, vitima de um infarto cardíaco, procurou o PS, mas não havia médico no local para atendê-la.

Perseguição

Enquanto isso acontece, o prefeito perde tempo e energia promovendo perseguições contra pessoas que o incomodam por suas posições sobre o desempenho da gestão. Este é o caso de um funcionário de carreira da área de planejamento, transferido de setor pelo simples fato de ser cunhado de um jornalista que denuncia as irregularidades da administração. Caso semelhante envolve uma conselheira tutelar que denunciou o atendimento precário do Pronto Socorro ao levar o filho para ser atendido no local. Agora ela sofre um processo administrativo visando eliminá-la do órgão. Vale lembrar: nem o delegado e muito menos o Ministério Público acataram as denúncias contra a conselheira.