Terapia, sinônimo de saúde

Psicólogo fala sobre o preconceito que existe sobre a prática, e porquê ela é importante

26 JAN 2018 • Por João Alexandre Borba • 19h28

Mesmo em pleno século XXI, muitas pessoas, talvez influenciadas pelo modo como a mídia (filmes, televisão, etc) trata o tema, entendem que apenas pessoas que não estão normais fazem terapia. Ou seja, no imaginário popular, apenas os loucos e desequilibrados precisam de ajuda profissional.

Na verdade, segundo especialistas, não existe nada de errado em alguém querer ou precisar de ajuda. Com tantas pressões e angústias que a vida cotidiana pode trazer, o ato de procurar uma terapia é completamente saudável. A verdade é que saúde mental é algo que poucos entendem ou sentem compaixão sobre, já que, segundo pesquisas, 25% de pessoas com doenças mentais acreditam que os outros sentem compaixão por elas. Muitas pessoas, que não se aprofundam ou se interessam pelo assunto, acreditam que as doenças mentais são algo que está "dentro da cabeça do indivíduo", e que ele deveria se livrar delas sozinho.

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, o "pouco caso" com doenças mentais não é apenas uma questão social, pois esse estigma é uma barreira que impede as pessoas de buscarem tratamentos adequados. "É tão comum que as pessoas vão ao médico ao menor sinal de gripe, então por que não ir ao psicólogo para cuidar da sua parte emocional? Afinal, ela é tão importante quanto a parte física, para o bom funcionamento do seu corpo", afirma.

Ele observa que grande parte das pessoas que procuram ajuda psicológica não tem doenças mentais sérias, mas, sim, estão enfrentando alguma dificuldade ou transição nas suas vidas, e precisam de um apoio maior nesses momentos. "Muitas vezes, na verdade, a pessoa só quer alguém que a escute sem fazer juízos de valor e que a possa aconselhar quando necessário", comenta.

Borba finaliza, explicando que fazer terapia pode ser benéfico para seu bem-estar, dando uma nova perspectiva para a sua realidade, seus problemas, seus relacionamentos, etc. "Muitos pensam que a ajuda psicológica é para sempre, mas não é bem assim. Apesar de certas terapias serem, realmente, de longo prazo, o objetivo principal desse processo será o da sua melhora pessoal, mudando o jeito como você encara seus problemas, e trabalhando para que sua vida se estabilize", conclui.

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba