ECONOMIA

Repasses do Estado aos municípios somam R$1,3 bilhão em 2017

No ano passado, o Governo do Estado destinou R$ 1,3 bilhão para os 399 municípios do Paraná, entre financiamentos e recursos a fundo perdido

1 FEV 2018 • Por AEN • 18h01
Montante de R$ 1,3 bilhão refere-se apenas às liberações feitas durante encontros de Richa com prefeitos - Divulgação

O governador Beto Richa diz que as cidades têm prioridades diferentes e que o Estado personalizou as ações, de acordo com as necessidades de cada uma. “Já fui prefeito e conheço muito bem as demandas e os desafios das prefeituras para responder aos anseios da população. Por isso, a gestão no Governo do Estado é municipalista”, afirma Richa.

Ele lembra que, a esses repasses diretos, se somam os investimentos do Estado em melhoria no atendimento à saúde nos municípios, apoio aos hospitais públicos e filantrópicos, assistência social, expansão do saneamento, melhoria nas escolas, recuperação de estradas. “Tudo contribui para melhorar a vida nas cidades, que é onde as pessoas vivem. Apoiar as prefeituras é a forma mais eficiente de o Estado expandir sua presença e chegar até o cidadão.”

O montante de R$ 1,3 bilhão refere-se apenas às liberações feitas durante encontros do governador Beto Richa com os prefeitos, realizados ao longo do ano, a maioria no Palácio Iguaçu e alguns em cidades do interior. Esses repasses diretos se deram por meio de secretarias de Estado.

O chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, explica que montante é pulverizado, dentro das necessidades estabelecidas pelo município. “O governo libera os recursos, os prefeitos discutem com a comunidade os projetos a serem executados. Isso permite investir bem e gastar menos”, explicou Rossoni.

Só pela pasta de Desenvolvimento Urbano o total destinado aos municípios chegou a R$ 1,2 bilhão – somando financiamentos e verbas a fundo perdido –, usados para obras de infraestrutura e instalação de barracões industriais, além de equipamentos rodoviários e veículos.

“É de grande importância para a população local, em especial o recurso que não precisará ser devolvido aos cofres estaduais. Os municípios precisam efetivamente deste apoio, que garante mais qualidade de vida às pessoas, beleza à cidade e valorização dos imóveis dos cidadãos”, diz o secretário de Estado de Desenvolvimento Urbano, João Carlos Ortega.

Dentro do Programa Sistema Integrado de Coleta Seletiva (Reciclo Paraná), foram assinados convênios com o Instituto Águas Paraná para compra de caminhões adequados para a coleta seletiva. No total, 234 veículos foram entregues a cerca de 200 municípios do Estado. O valor total investido foi de R$ 65,6 milhões.

Além disso, o Águas Paraná também repassou 44 mil metros de tubos de concreto, de diversos diâmetros, para obras de saneamento e drenagem do Programa de Controle de Erosão. O investimento foi de R$ 6 milhões. Foram beneficiados 126 municípios.

O Águas Paraná também investiu R$ 5 milhões na compra de conjuntos completos para limpeza urbana, com equipamentos, carrinhos e lixeiras para 20 municípios do Estado.

Os convênios com a Secretaria de Estado da Agricultura somaram R$ 31,2 milhões. As prefeituras compraram veículos e equipamentos agrícolas, como carretas, ensiladeiras, semeadeiras, tratores, pulverizadores. Também fizera pavimentação de estradas rurais com pedras irregulares. Os recursos contemplaram 200 municípios.

Também foram firmados convênios com a Secretaria de Estado de Esporte e Turismo para a construção de academias ao ar livre. Em 2017, a secretaria repassou R$ 23,5 milhões a cerca de 250 municípios do Paraná.

Além destas, por convênios com a Secretaria da Infraestrutura e Logística, foram destinados aos municípios, no ano passado, R$ 156,88 milhões para pavimentação de estradas rurais e vias urbanas (que são de responsabilidade das prefeituras) e construção, modernização e ampliação de 41 pontes.

Os municípios também receberam no ano passado R$ 114,2 milhões para investimentos exclusivamente em assistência social. O recurso é da Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, repassado pela modalidade fundo a fundo (direto dos fundos estaduais para os fundos municipais), sem burocracia e com agilidade.