ELEIÇÕES

Herminhas admite retorno à política

Ex-deputado teve destacada atuação em seu primeiro e único mandado na Assembleia Legislativa

7 FEV 2018 • Por Herminhas disse que tem recebido incentivo de diversas lideranças políticas • 18h28
Antônio de Picolli

O ex-deputado, empresário e serventuário da justiça, Hermas Brandão Junior (PSD), estuda a possibilidade de retornar à política, provavelmente se candidatando a uma das 54 cadeiras da Assembleia Legislativa do Paraná. Ele, que se elegeu deputado estadual em 2010, com 46.702 votos, teve destacada participação parlamentar, mas decidiu não concorrer à reeleição, preferindo dedicar-se a seus negócios, entre os quais, um cartório judicial na cidade de fazenda Rio Grande, região metropolitana de Curitiba. A informação foi dada pelo próprio Herminhas, como é mais conhecido, em contato telefônico com a Tribuna do Vale.

Filho do também ex-deputado Hermas Eurides Brandão, Herminhas diz que analisa a possibilidade de retorno à política pela insistência de lideranças de várias regiões do Estado, principalmente o Norte Pioneiro onde está a principal base política da família. “Tenho recebido muitas manifestações de incentivo para voltar. Confesso que estou analisando concretamente esta possibilidade, mas ainda existem muitas questões a serem analisadas”, assinala, fazendo questão de ressaltar que seu eventual retorno à vida pública não vai atrapalhar a carreira do sobrinho, Evandro Júnior (PSDB), atual deputado estadual, alegando que o jovem tem sua principal base política na região de Maringá. 

Herminhas caracterizou seu mandato pela lealdade aos companheiros, alguns projetos relevantes, principalmente para Norte Pioneiro. Um exemplo foi a primeira reunião que realizou com o secretario da Saúde, Michelle Caputo no Hospital Regional, visando a instalação da UTI neonatal, e autorização para elaboração do projeto para UTI adulta, obra já concluída,

Além desses projetos, consta ainda requerimento encaminhado à Secretaria de Ciência e Tecnologia e Ensino Superior cobrando do governo estadual a construção do Centro Regional de Especialidades obra em licitação pela Secretaria de Saúde e Paraná Edificações. Também coube a ele a coragem de pedir ao governo a construção subgrupamento do Corpo de Bombeiros em Santo Antônio da Platina, além de tantas outras lutas.

Teste do Coraçãozinho

Mas uma das propostas mais relevantes do então deputado Hermas Brandão Junior foi projeto de lei tornando obrigatória a realização de exames em recém-nascidos para detectar a cardiopatia congênita, chamado “teste do coraçãozinho”, para diagnóstico precoce em crianças nas maternidades e casas hospitalares mantidas pelo Estado. Propostas semelhantes apresentadas pelos deputados Ney Leprevost (PSD) e Marcelo Rangel (PPS), foram anexados e integraram a proposta que foi aprovada na Assembleia.

De acordo com Hermas Júnior, o objetivo foi garantir a realização do “teste do coraçãozinho”, conhecido também como “oximetria de pulso”. Esse exame ajuda a diagnosticar casos de cardiopatia congênita em bebês nas primeiras 24 horas de vida. Segundo o parlamentar, o exame nada mais é que uma triagem simples e barata que pode ajudar a diagnosticar casos de cardiopatia congênita em recém-nascidos e assim salvar vidas.

Para Hermas Júnior, assim como o tradicional “teste do pezinho”, que passou a ser obrigatório nos anos 90, e o “teste da orelhinha” – a partir de 2010 – o exame proposto é fundamental para garantir ao recém-nascido uma vida normal, mesmo que sendo diagnosticada qualquer alteração no seu organismo. “Esse exame simples pode representar para um bebê a garantia de uma vida saudável”, justifica.