R. PINHAL

Debate ressalta diálogo e políticas públicas para proteger os jovens das drogas

O prefeito Wagner Martins ressaltou a importância de criar um Conselho Municipal de Combate as Drogas

22 FEV 2018 • Por Da Assessoria • 19h48
Palestrante Carlos Augusto Weber conduziu o “Diálogo de Políticas sobre Drogas” - Divulgação

Com discurso descontraído, o palestrante Carlos Augusto Weber conduziu o “Diálogo de Políticas sobre Drogas”, na quarta-feira (21), no Centro Cultural de Ribeirão do Pinhal. O objetivo do evento foi de conscientizar autoridades, representantes de entidades e da comunidade, professores, servidores públicos e jovens sobre as consequências do uso de drogas e como é importante promover o diálogo. Weber apresentou aspectos do conhecimento que adquiriu durante os anos que trabalhou na área de políticas públicas contra as drogas e abriu espaço para perguntas.  

O juiz da Comarca de Ribeirão do Pinhal Dr. Julio Cezar Vicentini e o promotor Dr. José Paulo Montesino Gomes da Silva prestigiaram a abertura do evento e parabenizaram pela iniciativa de abordar um tema relacionado às drogas. “Dr. Carlos, que tem profundo conhecimento sobre o tema, traz informações importantes sobre os efeitos e consequências da droga, espero que todos possam absorver ao máximo o que o profissional tem a dizer”, afirmou o promotor.

O prefeito Wagner Martins ressaltou a importância de criar um Conselho Municipal de Combate as Drogas. “Desde o ano passado venho conversando com representantes da comunidade de criar o conselho municipal, para servir como ferramenta que a sociedade tem para dar sua contribuição. Criticar é fácil, mas precisamos que todos se envolvam mais para desenvolver um trabalho em conjunto realmente efetivo, contra esse mal que tem destruído muitas famílias”.

Martins também agradeceu ao palestrante por se disponibilizar a estar na cidade para dividir seu conhecimento. “Agradeço ao Dr. Carlos que tem 37 anos de trabalho em políticas públicas, uma vida dedicada ao assunto e hoje está aqui em Ribeirão do Pinhal para contribuir com sua experiência”.

A pedagoga Denise Regina de Sousa Meirin falou que a situação a respeito das drogas é gritante e a sociedade precisa tomar providências. “Entre minhas pesquisas para o mestrado conheci um estudo da Organização das Nações Unidas (ONU) que aponta um dado preocupante, afirmando que em 2058 seremos uma nação de retardados, devido ao crescimento do número de crianças com comprometimento intelectual. Por isso é importante nos unirmos para mudar o que está acontecendo, não deixar estudos como esse guardados somente para nós que estudamos o assunto, mostrar a sociedade que é preciso acordar”, afirmou.  

Carlos Weber que atualmente assessora o deputado Alexandre Guimarães presidente da frente parlamentar de políticas sobre drogas, destacou a importância de incentivar o diálogo para criar meios de trabalhar com quem esta caminhando para se render ao vício. Sobre o evento em Ribeirão do Pinhal se manifestou muito satisfeito com a participação da plateia. “Percebi a vontade de participar, o interesse, a espontaneidade e perguntas inteligentes que demonstram que não estão satisfeitos, querem ser protagonistas de uma mudança”, declarou o palestrante.

O empresário Anderson de Assis Costa (conhecido como Serapião) falou sobre a própria experiência de vida quando mergulhou no mundo das drogas. “Comecei com o álcool aos doze anos, acreditando saber o que estava fazendo passei por caminhos que me fizeram chegar ao fundo do poço. Só a fé me fez mudar de vida. Hoje com 38 anos estou livre de vícios, tenho meu trabalho, minha família e digo que não valeu à pena passar por tudo que passei”, desabafou.    

Também prestigiaram o evento a delegada da Policia Civil Luci Santiago; o Sargento da Policia Militar Ilson Aparecido da Silva; a primeira dama Carina Pereira Baron Martins; os vereadores Pedro Renildo Otávio, Emerson Gonçalves de Oliveira, Edeval Gonçalves Azevedo Jr.; chefe de gabinete Eneucino Iel; secretários municipais Terezinha Campos Silva, Carlos Alexandre Braz, Lucas Rosa Adriano; membros do Conselho Tutelar, equipe do Cras, equipe da secretaria municipal de saúde, representantes religiosos e de entidades municipais; o diretor do Colégio Estadual Hermínia Lupion, Adão Scimidt, professores e alunos do ensino médio e formação de docentes; diretora do Cmei Vó Zaíde, Terezinha de Campos Silva; e pessoas da comunidade.