IBAITI

Justiça manda soltar bombeiros acusados de saquear contrabando

Agentes comunitários deixaram a cadeia no sábado (24), e vão responder em liberdade pela acusação de peculato

26 FEV 2018 • Por Da Redação • 17h06
Divulgação

A Justiça da Comarca de Ibaiti acatou o pedido da defesa e arbitrou fiança (fixada em R$ 954, cada) aos três bombeiros comunitários presos na tarde de sexta-feira (23), acusados de se apropriarem de parte de uma carga de cigarros contrabandeados do Paraguai, durante o atendimento a um acidente na BR-153.

De acordo com o delegado Pedro Dini Neto, titular da 37ª Delegacia Regional de Polícia, os três servidores da prefeitura de Ibaiti cometeram peculato (crime contra a Administração Pública), cuja pena é inafiançável e pode variar entre 2 e 12 anos de prisão.

A carga contrabandeada foi colocada no caminhão da corporação pelos bombeiros comunitários, e depois transferida para o carro de um deles no quartel. O responsável pela unidade teria percebido algo de errado, e comunicou a polícia.

Ainda segundo Dini Neto, os acusados alegaram que a carga oferecia risco aos motoristas que passavam pelo local, e que por isso foi recolhida ao quartel durante o reabastecimento do reservatório de água do caminhão para o rescaldo do incêndio que consumiu o caminhão que transportava o contrabando.

Suspensão

O comandante do Corpo de Bombeiros de Jacarezinho, capitão Angelino José de Siqueira, determinou a suspensão dos três servidores envolvidos no episódio até o fim das investigações.

Outro lado

O advogado dos três acusados, Pablo Henrique Rodrigues Blanco Acosta, ressaltou que tudo não passou de um mal-entendido que será esclarecido no decorrer do processo. “O que aconteceu foi uma grande confusão, e tudo será resolvido”, ponderou.