EDUCAÇÃO

Professores protestam contra projeto de lei que fraciona reajuste salarial

Fundeb foi reajustado em 6,81%, mas projeto da prefeitura prevê esse repasse apenas para profissionais em início de carreira

27 FEV 2018 • Por Gladys Santoro • 19h15
Professores protestaram contra projeto de lei da prefeitura - Luiz Guilherme Bannwart

Professores da Rede Municipal de Santo Antônio da Platina lotaram a Câmara Municipal de Vereadores na noite desta segunda-feira, 26, para protestar contra o projeto de lei do Executivo que fraciona o reajuste salarial da categoria, repassado pelo governo federal por meio do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Segundo o presidente da Associação de Professores Municipais Platinenses, entidade vinculada à APP Sindicato, professor Fernando Nogueira dos Santos, o governo federal reajustou o Fundeb de 2018 em 6.81%, mas a prefeitura platinense elaborou um projeto de lei que só concede o reajuste integral aos profissionais em início de carreira. Para o restante, foi previsto apenas a reposição da inflação de 2017, de 2,95%. “Dessa forma, a prefeitura está achatando nossos salários”, comentou.

Santos disse que já tinha conhecimento do teor do projeto de lei da prefeitura e que tinha falado com os vereadores na semana passada, pedindo a eles, que alterassem o projeto. “Mas na tarde desta segunda-feira, vi o projeto publicado no site da Câmara, na íntegra, sem nenhuma alteração. Procurei os professores e combinamos ir à sessão ordinária da Câmara para mostrar aos vereadores nosso descontentamento. Fomos bem recebidos e aparentemente tivemos apoio unânime. Mas se o projeto não sofrer alteração, ou seja, destinar o aumento de 6,81%  para todos os professores, aí vamos protestar na frente da prefeitura”, disse.

O presidente da Associação também comentou sobre a aplicação do índice de 25% do orçamento municipal na Educação. “Sabemos que em dezembro foi preciso usar de várias estratégias para fechar essa conta. Queremos saber quais as dificuldades que a prefeitura enfrenta em investir nessa área. Durante a audiência da Secretaria Municipal da Fazenda, ocorrida nesta segunda-feira, após a manifestação dos professores na Câmara Municipal, questionei o diretor Nilton dos Santos Lima sobre esse assunto e pedi a ele uma copia dos investimentos da prefeitura na Educação em 2017”, contou. Santos disse que o diretor argumentou que são inúmeros documentos e que vai demorar um certo tempo para reunir tudo.     

Audiência Pública

A manifestação dos professores na Câmara Municipal antecedeu a audiência pública da Secretaria Municipal da Fazenda apresentada pelo diretor Nilton dos Santos Lima.