Secretaria esclarece bloqueio de verbas sociais de Cambará

Problemas referentes à perda de R$ 28,8 mil de recursos federais foi causado por falhas na administração anterior

7 MAR 2018 • Por Da Assessoria • 18h39

A Secretaria Municipal de Assistência da Prefeitura de Cambará, em nota assinada pela titular da pasta, Ana Paula Moro da Silva Rafael, sobre matéria veiculada na Tribuna do Vale, edição deste fim de semana, a respeito do bloqueio de verbas do Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) atingindo seis municípios da região, esclarece que a inclusão da administração municipal na lista se deve a falhas ocorridas na gestão anterior, sob responsabilidade do ex-prefeito João Mattar Olivato (PSC).

O texto esclarece que os recursos advindos do MDS, destinados à Proteção Social Especial, cujo bloqueio no valor de R$ 28.877,88, poderia ter sido muito maior não fosse um esforço concentrado da Secretaria de Assistência Social, para evitar perda maior de recursos.

A nota explica que no ano de 2014, na gestão anterior, o MDS determinou através da portaria número 36, que os municípios que tinham mais de 12 parcelas dos recursos do Governo Federal em suas contas, teriam seus repasses bloqueados até que os valores fossem devidamente empregados nas ações a que se destinavam.

Ainda segundo a secretária Ana Paula Moro, no ano de 2017, início da gestão do prefeito José Salim Haggi Neto (PMDB), verificou-se que a área de Assistência Social do Município de Cambará contava com R$ 502.310,69, da administração anterior, correspondente à 21 parcelas de recursos bloqueados, situação que chamou a atenção dos responsáveis pela execução das políticas sociais. “Diante da situação, a nova gestão buscou ampliar a execução dos serviços, programas e projetos voltados à população em situação de risco social, investindo os recursos com planejamento e agilidade, possibilitando à prefeitura o recebimento do montante de R$ 83.533,64”, esclarece.

A secretária assinala ainda que “longe de ser uma irresponsabilidade social da atual gestão, este montante de recursos bloqueados mostra o empenho dos responsáveis pela pasta em regularizar a situação financeira da secretaria e deverá, sem dúvida, ser resolvido nos próximos meses, através da contratação e capacitação e contração de servidores, oficineiros, cursos profissionalizantes, campanhas e repasses a entidades importantes de nossa cidade, na proteção, na proteção de pessoas em situação de risco social, tais como Asilo e Apae”, finaliza Ana Paula.