Santo Antônio da Platina / PR33º21º19 de Agosto de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 16/08/2018

Edição ImpressaEdição 3663

Ler Jornal
S.A.PLATINA

Operação ‘Ebulição’ prende seis por venda clandestina de gás de cozinha

Ação deflagrada na manhã desta terça-feira (12) fiscalizou 10 estabelecimentos comerciais na cidade

Comentar
Compartilhar
12 JUN 2018Por Luiz Guilherme Bannwart17h42
Operação fiscalizou 10 comércios na cidade supostamente envolvidos na venda ilegal de gás de cozinhaFoto: Antônio de Picolli

Seis pessoas foram presas na manhã desta terça-feira (12) durante a Operação ‘Ebulição’, deflagrada pela Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros para combater a venda clandestina de gás de cozinha em Santo Antônio da Platina.

 

Segundo a Polícia Civil, a entidade regional ligada aos distribuidores regulares do produto, denominada Supergasbras, formalizou denúncia na 38ª Delegacia Regional de Polícia, que, após levantamento fotográfico deflagrou a operação batizada por ‘ebulição’, em conjunto com o Corpo de Bombeiros.

 

Ao todo, 10 estabelecimentos foram vistoriados em diversos bairros na cidade. Conforme a Polícia Civil, além de ilegal a prática expõe a comunidade ao risco de incêndio por explosão.

 

Durante a operação foram apreendidos 74 botijões que, em tese, seriam ou foram comercializados de forma ilegal na cidade. "Grande parte dos botijões apreendidos estavam vazios, entretanto de acordo com relatório apresentado pelo Corpo de Bombeiros, mesmo assim, infringem disposições estatuídas na normativa que regula a matéria, pois sempre há sobra de materiais”, explica o delegado Tristão Borborema de Carvalho, que responde interinamente pelo expediente da 38ª DRP.

 

Ainda de acordo com o delegado, a lei 8176/91 veda a aquisição, revenda e distribuição de derivados do petróleo e gás natural, caso em desacordo com normas estabelecidas na forma da lei. A pena prevista para o delito é de um a cinco anos de reclusão.

 

As seis pessoas presas foram autuadas em flagrante e estão à disposição da Justiça da Comarca. O crime não permite arbitramento de fiança. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados pela Polícia Civil.

 

Blogs

Ver Todos os Blogs