Santo Antônio da Platina / PR33º21º22 de Novembro de 2017
Jornal Tribuna do Vale - 21/11/2017

Edição ImpressaEdição 3481

Ler Jornal
Ribeirão Claro

Câmara aprova cabine dupla para prefeito

Comentar
Compartilhar
01 NOV 2017Por Da Redação19h54

Em meio a uma crise sem precedentes, em que a população sente os efeitos nefastos de uma recessão histórica que assola o país, cinco vereadores de Ribeirão Claro autorizam o prefeito da cidade, Mário Augusto Pereira (PSC) a adquirir uma picape cabine dupla entre os vários modelos de fabricação nacional. Foram cinco votos a favor e três contra. A presidente Eliane Cortez, só votaria em caso de desempate.

A votação, realizada na noite da última segunda-feira (30/11) em sessão única, causou surpresa na comunidade, principalmente porque Ribeirão Claro atravessa um momento de dificuldades, com vários setores da administração operando de forma deficitária. Nem mesmo a publicação de uma reportagem na Tribuna do Vale, que repercutiu intensamente, principalmente a versão eletrônica, foi suficiente para alterar a obediência canina da bancada da situação.

O que surpreendeu a oposição foi a traição do vereador Beto do Anísio, que votou favorável ao desejo do prefeito. Além dele, os vereadores Irani Barbosa (Macarrão da Cachoeira), Agnaldo Teles, Elias Tenório e o Cocão, concordaram que o prefeito deve viajar com uma caminhonete de luxo. Os três que votaram contra foram Marcelo Molini, Vanderlei Luiz de Carvalho e Sarita Baggio de Mattos.

Após a publicação da Tribuna do Vale, nas sociais de Ribeirão Claro não se falou de outra coisa, O próprio prefeito Mario Pereira postou texto atacando adversários e se defendendo da cobrança da comunidade. Acusou o ex-prefeito Kiko Molini, pai do vereador Marcelo Molini, de usar o veiculo do gabinete para ir todos os dias à sua chácara na zona rural, esquecendo-se que ele mesmo utilizou durante seu segundo mandato uma F-1000 cabine dupla, veículo top de linha à época, para passar temporada no litoral paranaense.

Leilão

Mario diz que visita sua propriedade rural localizada no município de Jacarezinho, com veículo próprio. Por falar nesta fazendo, o imóvel vai a leilão judicial no próximo dia 15 para pagar uma indenização estimada em quase um milhão fruto de uma condenação do prefeito por grave irregularidade cometida por ele em seu primeiro mandato.

O processo, que se arrasta há quase 28 anos na justiça paranaense teve início  através da denúncia de um cidadão, instando o Ministério Público Estadual (MPE) a abrir uma investigação para apurar as circunstâncias em que Pereira se autoconcedeu um aumento de salário em pleno exercício do mandato, o que é proibido pela legislação.

Além dele, a maioria dos vereadores que aprovaram o projeto de lei também foram condenados, mas acabaram ficando de fora da execução da sentença, uns porque morreram e outros porque não tem patrimônio para bancar sua parte na indenização.

O imóvel, uma fazendo de 50 alqueires está avaliada em cerca de R$ 2,7 milhões. O lance mínimo para arrematar o bem é de R$ 1,6 milhão, o que deve atrair compradores porque, se arrematada por este valor, o alqueire sairia por cerca de R$ 35 mil, bem abaixo das cotações de mercado.    

O que te falta é dinheiro ou coragem? Todo grande empreendimento surge a partir de uma decisão.

Blogs

Ver Todos os Blogs
O que te falta é dinheiro ou coragem? Todo grande empreendimento surge a partir de uma decisão.