Santo Antônio da Platina / PR33º21º19 de Agosto de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 16/08/2018

Edição ImpressaEdição 3663

Ler Jornal
RIBEIRÃO CLARO

Vereador acusa prefeitura de “descaso” com a iluminação pública

Parlamentar fez um levantamento e contou 200 lâmpadas queimadas

Comentar
Compartilhar
07 AGO 2018Por Gladys Santoro22h12
Cidade tem mais de 200 lâmpadas queimadasFoto: Divulgação

O vereador Vanderlei de Carvalho (PSD), de Ribeirão Claro procurou ontem a redação da Tribuna do Vale para acusar a prefeitura de “descaso” com a iluminação pública. Segundo ele, apesar da população pagar a taxa relativa ao serviço, hoje a cidade tem cerca de 200 lâmpadas queimadas, principalmente nos bairros Conjunto Habitacional Jâcomo Domingues, Bechara, Monte Claro e Luiz Carlos Paraná. “Na minha opinião é um absurdo receber a taxa e não realizar, ao menos, a manutenção básica”, disse.
O vereador disse que a falta de iluminação está causando sérios transtornos aos moradores. “Grande parte da população de Ribeirão Claro está passando por um transtorno em relação à Iluminação Pública. Faz muito tempo que não há manutenção e troca de lâmpadas. O problema é mais grave do que se imagina”, afirmou contando que fez questão de sair pessoalmente às ruas e contar o número de lâmpadas queimadas. “Fui pessoalmente fazer um levantamento e verifiquei que há mais de 200 lâmpadas queimadas no município, a maior parte delas em bairros e vilas, como é o caso do Conjunto Habitacional Jácomo Domingues Mio, onde a rua principal está praticamente no escuro. Os bairros Bechara, Monte Claro e Luiz Carlos Paraná também sofrem com esse problema”, disse.
“Essa denúncia tem a intenção de agilizar uma solução desse problema, pois há meses enviei um ofício ao prefeito e à Secretaria de Obras, e até o momento não houve solução”, reclamou.
Outro fato que o vereador Vanderlei questiona é a não utilização do Caminhão Munck. “Ele está há algum tempo parado em perfeitas condições de uso, mas deveria estar sendo utilizado para a troca e manutenção das lâmpadas”, comentou salientando que mesmo que os profissionais capacitados para manobrar a máquina estiverem de férias ou doentes, há servidores que podem realizar o serviço. “ O chefe do Departamento de Eletricidade, por exemplo, tem curso para operar guindaste”, disse.   
“O que mais me deixa revoltado é a falta de respeito para com a população, pois é um absurdo as famílias pagarem a taxa de iluminação - na maioria dos casos fazendo até falta para completar o pagamento de outras despesas - e o município não realizar a manutenção correta, tendo em vista que o valor é pago por toda população da zona urbana. Além disso, ainda tem a questão da segurança, pois muitas pessoas circulam no período noturno, inclusive os alunos que retornam para suas casas após às 23 horas. Eles transitam no escuro e isso aumenta os riscos de assalto e furtos, que já vem acontecendo com uma certa frequência em nosso município”, disse acrescentando: “Espero que após essa denúncia, as autoridades solucionem os problemas citados. Deixo bem claro que meu intuito é solucionar o problema, pois esse é o papel do vereador. Fico também à disposição da população, caso tenha algum problema, pode contar comigo”, concluiu.

Outro lado
O prefeito de Ribeirão Claro, Mario Augusto Pereira informa que a prefeitura já adquiriu as lâmpadas e fará a contratação em caráter emergencial de uma empresa para executar sua instalação na rede de iluminação pública. O objetivo é contratar mão de obra terceirizada e sanar o problema. O serviço de troca das lâmpadas que compõem a iluminação pública estava sendo executado pela prefeitura mesmo com número reduzido de servidores, porém o operador do Munck (guindaste) se machucou e o trabalho precisou ser interrompido. O guindaste é um aparelho de funcionamento relativamente complexo e sua operação por alguém sem qualificação coloca a vida do eletricista em risco.

Blogs

Ver Todos os Blogs