Santo Antônio da Platina / PR33º21º20 de Outubro de 2018
Jornal Tribuna do Vale - 17/10/2018

Edição ImpressaEdição 3704

Ler Jornal
SAÚDE

Em uma semana, Paraná registra seis mortes por gripe

De acordo com dados da secretaria, Curitiba e Foz do Iguaçu, são as cidades com o maior número de mortes por gripe

Comentar
Compartilhar
14 JUN 2018Por Redação Bem Paraná23h00
Vacinação continua para as pessoas que compõem os grupos de riscoFoto: Antônio de Picolli

Em uma semana, o Paraná registrou seis mortes por gripe, segundo boletim da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa) divulgado nesta quinta (14).O novo boletim revela duas mortes em Curitiba, uma em Astorga, uma em Colorado, uma em Guarapuava e uma em São Mateus do Sul.

De acordo com dados da secretaria, Curitiba e Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, são as cidades com o maior número de mortes por gripe em 2018, com quatro ocorrências cada uma. Do total de 24 mortes registradas neste ano, 16 foram pela subtipagem A(H3), sete por A(H1N1) e uma por influenza A sem subtipo definido. Dezoito dos mortos eram idosos e 23 deles tinham fator de risco, como diabetes e seis pacientes eram vacinados.

Vacinação prorrogada

Quem faz parte do grupo prioritário para receber a vacina da gripe e ainda não se imunizou terá mais uma semana para procurar uma unidade de saúde e receber a sua dose. O Ministério da Saúde prorrogou o fim da campanha contra a gripe, que terminaria nesta sexta-feira (15/6), para o dia 22 de junho, próxima sexta-feira.

A expectativa do Ministério da Saúde é aumentar, em todo o Brasil, a cobertura no grupo de risco, que é aquele mais suscetível a ter complicações em caso de gripe. A escolha dos grupos prioritários para a vacinação contra a gripe segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias.

Essa já é a terceira vez que a campanha é prorrogada pelo Ministério da Saúde. Até o dia 22 de junho, a prioridade nas doses permanece sendo para os grupos definidos pelo Ministério da Saúde. Depois disso, se houver doses remanescentes, elas serão disponibilizadas gradualmente ao restante da população.

BOX

Grupos de risco  

O público-alvo da campanha de vacinação contra a gripe é definido pelo Ministério da Saúde. Para tomar a vacina, basta ir a uma unidade de saúde e apresentar um documento oficial. Em alguns casos, é necessário apresentar também um documento que comprove que o usuário se enquadra em algum destes públicos:

- Crianças de 6 meses de idade a 4 anos, 11 meses e 29 dias;

- Idosos com 60 anos ou mais;

- Pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis e outras condições clínicas especiais, como trissomias, doença respiratória, cardíaca, renal, hepática e neurológica crônica, diabetes, imunossupressão, obesidade e transplantados (neste caso, se não fizer o acompanhamento na unidade de saúde é preciso apresentar solicitação ou prescrição médica com o motivo da indicação da vacina);

- Gestantes, independente do mês gestacional;

- Mulheres em pós-parto, até 45 dias após o nascimento do bebê (apresentar certidão de nascimento do bebê, cartão-gestante ou documento do hospital em que ocorreu o parto);

- Trabalhadores da saúde (apresentar declaração do vínculo de atuação);

- Professores de escolas públicas ou privadas (apresentar documento que comprove vínculo de atuação, como crachá ou declaração da instituição em que atua).

 

Blogs

Ver Todos os Blogs