Santo Antônio da Platina / PR33º21º24 de Julho de 2017
Jornal Tribuna do Vale - 22/07/2017

Edição ImpressaEdição 3403

Ler Jornal
JACAREZINHO

Unidade de Coleta de Sangue precisa de doadores permanentes

Comentar
Compartilhar
20 ABR 2017Por Jivago França / JDS Comunicação especial para Tribuna do Vale17h32
Doadores de sangue precisam ser mais regulares e constantesFoto: Jivago França

A Unidade de Coleta e Transfusão de sangue (UCT) da 19ª Regional de Saúde, com sede em Jacarezinho, precisa de doadores regulares e permanentes. A população que era acostumada as doações noturnas ainda reclama da mudança de horário, mas o número de bolsas coletadas só aumentou com a coleta diurna.

Segundo o diretor da 19ª Regional de Saúde, Alfredo Ayub, a mudança das coletas noturnas para diurnas foi uma decisão da Secretária Estadual de Saúde (Sesa) após uma ação civil pública (ACP) proposta pelo Ministério Público Estadual e um alerta do Tribunal de Contas do Paraná (TCE-PR) referente à carga horária dos funcionários da unidade.

“Teve uma ação civil pública oriunda daqui, teve outra do Tribunal de Contas. Isso é recurso, é pagamento a funcionário. Excesso nas horas extras, falta de cumprimento dos horários”, citou Alfredo Ayub como algumas das afirmações que constavam nas ações.

Ele garante que a mudança foi para melhor. “Com tudo isso, nós conseguimos reduzir custos e aumentar a produtividade. Em uma empresa pública, temos que parabenizar a equipe que tem correspondido e muito. Nós temos que elogiar, pois são excelentes profissionais. Maravilhosos profissionais”, disse Ayub. “Nossa equipe é das melhores do Paraná, mas nós precisamos permanentemente de doadores”, afirmou.

O chefe da UCT de Jacarezinho, Antonio Carlos Almeida, o “Tomate”, acredita que são necessários mais doadores. “Nós temos uma demanda na região, nos 22 municípios de 350 a 400 bolsas (mês) e nós estamos coletando de 200 a 250. Então tem um déficit de 150 bolsas e estamos fazendo campanha, visitando os municípios e fazendo parceria com os secretários municipais de Saúde para que a gente atinja esse objetivo que é sermos auto-suficientes na distribuição do sangue”, destacou Almeida.

“O pessoal estava acostumado aquela coleta à noite. Depois foi suspensa e nós temos agora uma vez por mês só (coleta noturna). Nós tentamos para fazer uma vez na semana pelo menos (noturno), mas eu não sou a pessoa preparada para falar sobre isso e nós temos um diretor na 19ª Regional e ele poderia falar mais sobre isso. Mas nós estamos procurando alternativas para atender nosso objetivo, porque com toda ciência e tecnologia nos dias atuais não tem substituto para o sangue e nós estamos precisando sempre”, disse Antonio Carlos.

Números

Alfredo Ayub apontou que desde que aconteceu a mudança, os números mostram que as coletas só aumentaram. Segundo ele apontou em planilhas, em 2015 foram coletadas durante o ano, 4197 bolsas de sangue, contra 4730 em 2016. Ayub foi mais além e revelou que as coletas feitas em janeiro e fevereiro deste ano aumentaram significativamente em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo a planilha, em janeiro de 2016 foram coletadas 206 bolsas e fevereiro 279. Neste ano, janeiro teve coleta de 508 bolsas e fevereiro 441. Os números mostram que de janeiro de 2016 para o mesmo período deste ano teve um aumento de 146,60% nas coletas. O aumento no mês de fevereiro deste ano em relação com 2016 foi de 58,06%. “Não estamos diminuindo, estamos crescendo. Temos um aumento considerável (de doadores)”, comemorou Ayub.

As coletas atualmente acontecem de segunda à sexta-feira das 7h30 às 12 horas e uma vez ao mês também no período noturno com data divulgada pela UCT com antecedência. A UCT Jacarezinho fica na rua Coronel Cecílio Rocha, 425 no centro e atende pelo telefone 35271777 e 35251395.

Reunião

O chefe da UCT, Antonio Carlos Almeida “Tomate” se reuniu com servidores da área da saúde dos municípios de Santo Antonio da Platina, Cambará e Jacarezinho para discutir sobre as doações. Segundo ele, o objetivo da reunião foi intensificar a parceria para conseguir um maior numero de doadores possíveis. “O estoque está baixo e a demanda está aumentando, se não nos mobilizarmos correremos o risco de faltar este bem tão precioso”, destacou Almeida.

Participaram da reunião, enfermeiras das três cidades e representantes do Hospital Regional do Norte Pioneiro.

Blogs

Ver Todos os Blogs